Conselhos a Jovens Pastores Batistas

Teoricamente igrejas batistas são autônomas.
Sinceramente, quando vivi a realidade de uma associação batista, não me lembro de ter testemunhado isso na prática. Na minha experiência, essa ideia ficou presa no mundo dos compêndios de teologia, nos empoeirados e ignorados estatutos (quem os lê?) e em discursos comprometidos. Mas, reconheço que pode ser um lapso de memória; e espero que minha experiência não represente a sua realidade.
Até onde lembro, quando participava de reuniões de pastores batistas (presbitério batista?), os mais influentes (geralmente muitos galgam tal status por boas razões, mas os mantém por péssimas práticas) vez por outra usavam, em tom de prudência, sabedoria e respeito à autonomia da igreja local e à autoridade dos colegas, a seguinte expressão: “Eu sugiro”.
Querido jovem pastor batista, quando ouvir essas “palavras mágicas”, fique alerta, pois elas poderão (não é uma regra, claro) significar: “Se você não fizer exatamente o que eu (e meu grupo de interesse; digo, o sistema) quero, fecharei todas as portas do nosso grupo até que você viva ‘à mingua dos cuidados denominacionais’ e morra na ‘sarjeta eclesiástica’”.
Disso decorrem alguns conselhos: Não se isole; no entanto, focalize sua igreja local. Trabalhe duro. Pregue com amor e dedicação. Ganhe o respeito e a admiração do seu povo. Quando precisar, critique seu grupo; revele suas limitações bem como as virtudes dos outros irmãos. Ensine que o reino não está restrito a uma tradição cristã apenas. Mostre, no dia a dia, o quanto ama sua igreja. Sacrifique-se. Pastorei. Seja compromissado com a Palavra de tal forma que seus colegas, mesmo discordando de você, temam ou evitem confrontá-lo.
Esse tipo de pastor pode até viver “à mingua dos cuidados denominacionais”, mas nunca cairá na “sarjeta eclesiástica”, pois o Reino de Deus é infinita e assustadoramente maior. Só assim a sugestão “dos influentes” realmente será somente uma sugestão! Você poderá recebê-la ou simplesmente descartá-la enquanto apresenta a sua própria.

Comentários

  1. Concordo.sou Batista, pratico a autonomia da Igreja. Confesso que preciso de mais santidade.preciso aprender a orar e estudar a Bíblia.Estou em pe pela graça e misericórdia de Deus.De outra maneira maneira eu não estaria vendo a obra de Deus realizada ao meu redor.
    Acredito na suficiência do sacrifício de Cristo, por isso estarei no Céu com Deus.
    Pastor José Antônio Marques.

    ResponderExcluir
  2. Belo texto, Pr. Rômulo, agradeço pelos valorosos conselhos expostos no mesmo. Deus abençoe grandemente o seu ministério e a PIB de Aquiraz.

    ResponderExcluir
  3. A Paz de Cristo,
    Acessar seu espaço me fez muito bem!
    Louvo a Deus pela sua vida, e pelos artigos postados.

    Parabéns!!!

    Deixo uma lembrancinha que fiz, espero que goste do acróstico:

    C ultivar uma vida de oração.
    R evigorar-se pela leitura diária da Palavra.
    E star sempre disposto a obedecer a Deus.
    S er uma testemunha fiel no viver e no falar.
    C onsagrar a Deus seu corpo, tempo e talentos.
    E sperar de Deus a orientação para a vida.
    R evestir-se do poder do Espírito Santo.

    Precisamos CRESCER, na Graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

    E o Deus da paz vos santifique em tudo, e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.
    I Tessalonicenses 5. 23

    A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog, deixo o convite:
    Fruto do Espírito
    Em Cristo,

    ***Lucy***

    P.S. Deixo o convite para também conhecer o blog do irmão J.C. de Araújo.

    Mensagens atuais, outras polêmicas, porém abençoadoras.

    Discípulo de Cristo

    ResponderExcluir

Postar um comentário