Preservando a Santidade na Igreja

Não me lembro a última vez em que vi um cristão “fazendo propaganda” de uma igreja ressaltando sua pureza. Geralmente o que vejo são pessoas (incluindo pastores) destacando suas igrejas pelo número grande de visitantes, membros, o crescimento da estrutura física, as programações, o potencial intelectual do pastor. Mas, a moral, a santidade, a pureza, sinceramente não me lembro.

Evidentemente não sou contra nenhuma dessas qualidades. Certamente o crescimento físico de uma igreja pode ser resultado do exercício da comunhão e/ou da fidelidade fianceira. O que me incomoda é supremacia de algumas virtudes e/ou qualidades em detrimento dos elementos mais essenciais como a moral e a santidade, por exemplo.

O texto de 1 Coríntios 5 deixa claro que uma igreja madura é uma igreja que preza pela moral e a santidade. O primeiro verso nos revela o quadro do que estava acontecendo naquela igreja.

1. No geral, o capítulo trata da pureza na igreja. Nos primeiros versos (vv. 1-5)o assunto específico é a “imoralidade” na igreja. Algumas versões como a RC, a ECA., a TB traduzem como “fornicação”. Fornicar é o mesmo que ter relações sexuais com alguém sem está dentro do compromisso de casamento. Na verdade, a palavra usada por Paulo tem natureza mais ampla e se refere a todo tipo de pecado sexual.

2. Era algo conhecido do grande público. Aqui poderíamos muito bem traduzir “se ouve inteiramente (absolutamente)”. Não se trata de uma conversa superficial. É algo certo.

3. A imoralidade sexual na igreja de Corinto era tal que resultou em um caso específico aqui citado: um rapaz estava vivendo como marido da mulher do seu próprio pai. Aqui é interessante observar a relação entre a "imoralidade sexual" (prostitiuição) e o caso específico do rapaz. No orginal temos uma construção sintática revelando que o caso do rapaz é "resultado" de um quadro maior de prostituição. O caso aqui citado, portanto, não seria um episódio isolado e/ou único, mas o resultado de um processo. A TB parece ter entendido assim ao traduzir “de modo que” ou invés de "isto é". Entender esse caso como o resultado de outros é importante porque nos desperta para sua causa: o descaso para com o pureza na igreja. Além disso, revela porque a igreja estava tão insensível quanto a um pecado tão chocante mesmo entre os incrédulos. A indiferença quanto a pureza e santidade gerou a insensibilidade.

4. Apesar de no primeiro verso Paulo está falando de pecados sexuais, ele deixa claro em todo o parágrafo que seu foco não se limita a essa questão. Posteriormente ele condena os roubadores, idólatras, maldizentes etc. (vv. 10-11).

Que ATITUDE tomar?

Primeiramente Paulo nos alerta para a atitude a ser evitada: a INDIFERENÇA. A palavra usada para “lamentar” aqui é a mesma utilizada para “chorar” diante da morte de alguém. “Vocês deveriam estar lamentando, chorando, diante de tamanho acontecimento”, diz Paulo. Mas parece que o problema nem sequer existia para aqueles irmãos. A apatia com outros casos gerou a insensibilidade para com casos que são graves até mesmo entre os ímpios.

Depois de nos mostrar a atitude a ser evitada, Paulo revela a atitude esperada diante do quadro de imoralidade: EXPULSÃO. Paulo, em sua autoridade apostólica, diz claramente que já sentenciou: “entregue a Satanás”. A decisão deveria ser aplicada "imediatamente", porém, não "arbitrariamente". Os passos ensinados pelo Senhor Jesus (Mt. 18) devem ser pressupostos no texto. Os passos estão "sugeridos" no objetivo maior da expulsão - a salvação. Um desses passos é destacado no texto: a reunião dos irmãos. A decisão quanto a exclusão, portanto, deveria ser da igreja.

O objetivo da expulsão é a “destruição da carne” e “a salvação”.Há discussão sobre o que vem a ser a “destruição da carne”. A morte? A Natureza pecaminosa? Algumas considerações nos impelem a negar a primeira possibilidade:

1) Gramaticalmente o objetivo real (e final) de Paulo na oração é a salvação do pecador e não a "destruição da carne". Esse é o real propósito na atitude de expulsão - a salvação. A sentença anterior (“para a destruição da carne”) descreve o "processo curativo" esperado. Explico: Na ARA temos a expulsão ("entregue a Satanás") seguida "aparentemente" de dois objetivos: a) A destruição na carne e b) Salvação. A preposição grega traduzida como "para" pode expressar "resultado antecipado" não somente propósito (cf. BAGD). O propósito seria a salvação. Essa salvação passaria pela "destruição na carne", chamado aqui de "processo curativo" porque leva à salvação. A morte, pois, torna-se estranha, pois como a morte seria um "processo curativo" até chegar a salvação? Além disso...

2) Paulo não prevê uma morte imediata como resultado da expulsão, pois aconselha aos irmaos a não comer (exercer comunhão) com ele.

3) Há um contraste "paulino" entre “carne” e “espírito”. Geralmente em Paulo “carne” e “espírito” faz referência à pessoa como um todo vista por ângulos diferentes. “Espírito” faz referência à pessoa como um todo direcionado a Deus. “Carne” à pessoa como um todo longe de Deus. A palavra “destruição” parece ser metafórica como “crucificação” em Gl. 5:24.


A “salvação” aqui claramente se refere a salvação eterna. Observe que Paulo liga essa salvação ao “dia do Senhor”. Assim, o verdadeiro objetivo em colocar uma pessoa para fora da igreja é a sua salvação. É esperado que nesse processo de retirada ela "destrua a carne", ou seja, volte-se para Deus. É importante entender que esse é o objetivo, não se quer dizer que isso necessariamente vai acontecer. Nem todos os "excomungados" voltarão. Mas esse deve ser nosso desejo e oração.

Quanto a frase “entregue a “Satanás”, essa foi utilizada por Paulo em outros documentos (2 Timóteo). Ao que parece, trata-se de uma terminologia usada para todos os que são retirados do convívio da igreja.

Continua…

Comentários

  1. Que bom! MAis alguém semando com habilidade a Palavra da verdade. Continue!

    ResponderExcluir
  2. Valeu a idéia do Blogger, suas exposições são boas. Fico aguardando I coríntios, mas Apocalipse também seria bem vindo.Vou ser um visitante frequente desse Blogger.
    Pr.Cleyton Gadelha.

    ResponderExcluir
  3. Necessitamos realmente de santidade constante entre nos para que não cresçamos como que inchados, mas realmente pela santificação.
    Vamos divulgar esse blog.
    Eu mesmo estou tentado a fazer um, boa idéia.
    Quando teremos outra mensagem dessa?

    ResponderExcluir
  4. pastor bastante interessante esse blogger, pois assim muitas pessoas terão um acesso à um estudo da palavra...
    esse estudo ai do AT e NT, muito massa!!!
    vlw Pr.!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário