Idolatria no Ônibus

Não me lembrava da última vez que me vi “em pé” em um ônibus. Mas lá estava eu, depois de andar alguns quilômetros, com fome e cheio de sacolas marcando os dedos, diante de várias poltronas ocupadas. “Quem seria o primeiro a sair?”, pensei instintivamente. A decisão deveria ser rápida. E optei acertadamente. Logo estava diante de um cobrador. “Acho que está de folga”, “Deve descer no ponto oficial que fica a uns três minutos daqui”, ponderei.

Passado os três minutos, como esperava, o cobrador deu sinais claros de que iria desocupar a poltrona. Estou certo de que brotou um sorriso no canto do meu rosto. Então veio o inesperado. “Por favor”, disse o cobrador, “você pode chamar aquela senhora? Quero que ela sente no meu lugar!”. “Claro”, respondi prontamente.

Tratava-se de uma senhora com seus sessenta anos. Obedecendo ao cobrador, aproximei, e de forma educada, disse: “A senhora pode sentar ali se quiser”. Notei que estava cansada. O nobre cobrador tinha feito uma boa escolha. Talvez analisou bem antes de tomar a decisão.

Um pormenor passou desapercebido naquela tarde. A senhora não viu que a iniciativa de ceder o lugar tinha sido do cobrador e não minha. Em sua mente, eu, o rapaz educado, havia cedido amorosa e sacrificialmente o lugar. Não era verdade. A despeito do meu egoísmo e indiferença, ela me tratou com dedicação e benevolência. Aproximou dela todas as minhas sacolas e me chamou de “filho”. A alegria que senti pela poltrona vazia foi substituída pela vergonha da glória imerecida. O louvor daquela senhora era sincero, mas era fruto do engano (não tinha sido idéia minha). Seu bom tratamento era bem intencionado, mas ao mesmo tempo injusto. Como todo louvor e glória que não são oferecidos a Deus; era uma honra boba, injusta e sem sentido.

E o cobrador? Merecia a glória? Claro que não! Assim como eu, ele também recebeu "ordens" de Outro. Louvemos a Deus! A Ele a glória! A Ele, toda glória é justa, merecida e certa. Nunca nos enganamos quando a Ele louvamos.

Comentários

  1. Ótimo artigo! simples e tão profundo. estou aguardando os próximos com ansiedade.
    Um abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom essa postagem.
    Muitas vezes me questionado si o que estamos fazendo de bom ou de cento e para nossa glória ou para a gloria de DEUS, o cento e que quando formos pratica uma gentileza essa gentileza vem de DEUS e a gloria e para DEUS.
    Ai me lembro de Mateus

    Mateus 6:3 Tu, porém, ao dares a esmola, ignore a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita;

    Mateus 6:4 Para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

    Mateus 6:5 E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa.

    Mateus 6:6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

    Parabéns Pastor Rômulo Pelo BLOG.

    ResponderExcluir

Postar um comentário